Mia Couto vence VII edição do Prémio Eduardo Lourenço

O escritor Mia Couto foi galardoado com o Prémio Eduardo Lourenço 2011.

A decisão foi anunciada pelo Prof. Doutor João Gabriel Silva, Reitor da Universidade de Coimbra, que presidiu à reunião do Júri do Prémio Eduardo Lourenço 2011, realizada na sede do Centro de Estudos Ibéricos, na Guarda.

António Emílio Leite Couto (Mia Couto), jornalista, biólogo e escritor é uma das figuras mais importantes da cultura moçambicana.

A criatividade e os contornos transversais da obra, a heterodoxia lexical a que recorre e o empenho cívico assumidos por Mia Couto transformaram-no numa referência cultural do espaço lusófono, num interlocutor privilegiado e potenciador do diálogo plural e aberto que importa aprofundar com o mundo ibero-americano.

A obra criadora de Mia Couto representa um contributo assinalável para a construção de uma Língua portuguesa de matriz planetária. A edição dos seus livros nos países de língua portuguesa (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique) e latino-americano (Espanha, Argentina, Chile, México) fazem de Mia Couto o principal mensageiro africano da lusofonia nos espaços de expressão ibérica, funcionando a sua obra literária como importante estimulo ao diálogo, uma ponte aberta à cooperação cultural entre África, Europa e América Latina.

Em certo sentido, a multipolaridade da sua matéria literária cumpre o desígnio de uma outra “Jangada de Pedra”, de natureza cultural, que expressando ao mais alto nível a condição humana, amplia a realidade idiomática, tão rica em diversidades, do nosso intemporal falar global.

Empenho cívico e percurso criativo, valores caros a Eduardo Lourenço, ancorados numa obra que transcende as fronteiras matriciais ou as que delimitam o respectivo universo ficcional levam a reconhecer Mia Couto como um autor cujo contributo é inestimável para estreitar a cooperação e difundir a cultura ibérica a territórios situados para além do restrito espaço peninsular europeu.

O Prémio anual, que tem o nome do ensaísta Eduardo Lourenço, mentor e Director honorífico do CEI, destina-se a galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cooperação e da cultura ibérica.

Para além do Reitor da Universidade de Coimbra, o júri que decidiu a atribuição do Prémio Eduardo Lourenço 2011, era formado pela Prof.ª D. Noemí Domínguez, Vice Reitora de Docência da Universidade de Salamanca, em representação do Reitor, pelo Eng.º Joaquim Valente, Presidente da Câmara da Guarda, pelo Prof. D. Valentín Cabero Diéguez e Prof. D. Fernando Rodríguez de la Flor, Professores da USAL, Prof. Dr. Jaime Couto Ferreira e Prof. Dr. Fernando Catroga, Professores da UC, por D. Juan Carlos Mestre, D. Antonio Colinas, Prof. ª Doutora Maria de Sousa e Prof. Doutor Gomes Canotilho, convidados pela UC e pela USAL.

As cinco anteriores edições do prémio Eduardo Lourenço contemplaram: Maria Helena da Rocha Pereira, Catedrática jubilada da Universidade de Coimbra na área da Cultura Greco-Latina, o Jornalista espanhol Agustín Remesal, antigo correspondente da TVE em Lisboa, a Pianista Maria João Pires, o Poeta espanhol Ángel Campos Pámpano, o penalista Jorge Figueiredo Dias e Cesar Antonio Molina, escritor e antigo Director do Instituto Cervantes.

A sessão solene de entrega do galardão a Mia Couto terá lugar, na Guarda, em data a anunciar.

in site www.cei.pt

Mia Couto